Ufa! Após 9 horas, CCJ aprova Previdência por 48 votos contra 18; governo sabe que tem de melhorar articulação

A primeira batalha da reforma da Previdência foi vencida pelo governo, ao conseguir aprovar na Comissão de Constituição e Justiça( CC J) da Câmara, com 48 votos, o texto do relator Marcelo Freitas (PSL-MG). Houve 18 votos contra. Às 23h45m, após quase nove horas de uma sessão tumultuada, os governistas festejaram a vitória. As dificuldades na tramitação deixaram claro, porém, que o governo precisa melhorar a articulação para a próxima etapa, na comissão especial que analisará o mérito da proposta de emenda constitucional.

A sessão começou às 15h07m, com mais de 30 minutos de atraso. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acompanhou pessoalmente as discussões na CCJ a partir do fim da tarde. Por volta das 21h, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), foi informado de que o requerimento mais importante da oposição havia sido rejeitado.

Num sinal do clima de tensão, Francischini chegou a avisar que não aceitaria gritaria, o que ocorreu várias vezes durante a sessão.

— Não vou aceitar que fiquem gritando. Isso aqui não é feira. Quem tem razão não berra, não urra — disse Francischini. Ao longo da sessão, opositores ao projeto repetiram inúmeras vezes a cobrança para que os números que embasam a proposta e sustentam a economia de R$ 1 trilhão sejam apresentados aos parlamentares antes da votação. Francischini disse entender que é uma liberalidade da equipe econômica não enviar os números neste momento.