Desemprego: Itaú fechará 400 agências até 2020 e 1,2 mil bancários devem perder seus postos de trabalho

BR: Em comunicados internos nas últimas semanas, de acordo com despacho da Agência Reuters, o Itaú Unibanco tem adiantado a seus funcionários que vai fechar 400 agências físicas até o final de 2020. Mais de 50 terão suas portas cerradas já no final do primeiro semestre. Outras 150 terão atividades finalizadas até dezembro deste ano, com mais 200 pontos de atendimento subtraídos até o final do ano que vem. O plano representa um corte de quase 10% no número atual de agências do banco no país, de 4,2 mil. O Itaú Unibanco apresentou lucro de R$ 6,71 bilhões no primeiro trimestre, com alta de 6,8% sobre o mesmo período do ano anterior.

Os cortes entre os funcionários já estão determinados, uma vez que a comunicação à rede de agência projeta o “aproveitamento de parte deles (funcionários) nas agências digitais”. A contar pelo menos três empregados não aproveitados nesse plano, dentro do universo de 400 agências a serem fechadas, entidades sindicais da categoria calculam que pelo menos 1,2 vagas de trabalho serão fechadas entre os bancários do Itaú Unibanco.  

Consultado pela Reuters sobre o plano de fechamento de agências, o Itaú Unibanco não quis comentar números, mas afirmou em nota que “a redução do número de unidades físicas é um movimento de reposicionamento da rede de agências, coerente com as novas necessidades dos clientes e o aumento da procura por atendimento em outros canais como internet, celular e agências digitais”.

Nas últimas semanas, informa a agência, o Itaú Unibanco tem avisado os funcionários de agências sobre os planos de fechamento das unidades. O banco tem “indicado que deve aproveitar parte deles (funcionários) nas agências digitais”, nas quais os clientes são atendidos de forma remota, por meio da qual conseguem atender a um número maior de clientes, disse uma das fontes.

Os cortes são liderados pelo diretor-geral Márcio Schettini, responsável pelas operações de varejo do Itaú Unibanco.