Neymar cercado pelo Leão: Receita intima Procter & Gamble a revelar termos de contrato milionário com jogador, que já deve mais de R$ 60 milhões ao Fisco; cervejinha não vai ajudar

BR: Neymar, decidamente, vive neste momento a pior fase de sua vida esportiva, pessoal e, também importante, fiscal desde que ganhou fama mundial. Saindo pela porta dos fundos do PSG, seu atual clube, sem destino certo ainda, e com o inquérito por acusação de estupro prorrogado pela polícia paulista, o jogador também sobre um cerco pesado por parte da Receita Federal.

Com uma dívida em impostos no Brasil estimada em mais de R$ 60 milhões, Neymar vê agora a Receita partir para cima de seus patrocinadores. É o caso da Procter & Gamble, titular da marca Gillete, que recebeu uma intimação formaç do Fisco para revelar os termos de seu contrato com o jogador.

No termo de intimação fiscal, a Receita pediu cópia dos “contratos assinados que cedam o direito de explorar a imagem do Sr. Neymar da Silva Santos Junior, ou nos quais haja a obrigação de atuação pessoal do jogador nos anos de 2014 a 2018”.

Também solicitou cópias “das faturas emitidas por tais serviços ou cessões, e-mails, identificação das contas contábeis, lançamentos contábeis, e comprovantes de repasse ou pagamentos a quaisquer pessoas vinculadas”.

Em abril, o pai de Neymar se reuniu com Paulo Guedes e Marcos Cintra, secretário especial da Receita, para tratar de “questões tributárias relativas a atividades esportivas”. Ele também esteve com Jair Bolsonaro.

“O empresário apresentou seus esclarecimentos ao ministro Paulo Guedes, sendo usual a concessão de audiências ao setor privado, conforme consta na agenda pública das autoridades da União”, disse a assessoria do ministério.