Tales: maus tratos a Maia podem custar Previdência a Bolsonaro, assim como custou a Temer

BR: Para quem quer aprovar a reforma da Previdência, atacar Rodrigo Maia não é bom negócio, é péssimo. É o que aponta o colunista Tales Faria, do UOL, lembrando que já no governo Michel Temer intrigas em torno da política do Rio de Janeiro afastaram o presidente da Câmara do projeto do presidente da República – e reforma da Previdência soçobrou na Câmara.

Agora, quando os filhos do presidente Jair Bolsonaro fustigam Maia nas redes, e o próprio presidente tem um diálogo frio com ele, a sina pode se repetir.

Para o colunista, o fim da boa relação com o presidente da Câmara ameaça enterrar a reforma da Previdência da mesma forma como aconteceu no governo de Michel Temer. Na disputa com Sergio Moro, que tentou apressar Maia na tramitação do pacote anticrime, os bolsonaristas, liderados por Carlos Bolsonaro, o filho Zero Dois, inundaram a internet com memes a favor do ministro. Maia não aguentou e, segundo Tales Faria, ligou para Paulo Guedes ameaçando largar de vez a articulação pró-reforma.

Há, ainda, o fator da política do Rio. Os filhos de Bolsonaro se elegeram em oposição ao grupo de Maia. No Senado, seu pai, Cesar Maia, perdeu a segunda vaga para Arolde Oliveira (PSD), com Flavio Bolsonaro ficando com a primeira. A campanha acabou, mas as arestas entre os dois grupos permanecem. Mas nem tudo está perdido. Guedes tenta manter Maia ao seu lado. O que ninguém sabe ainda é se vai conseguir sucesso nessa já difícil missão.