Bolsonarista de 2º turno, Fagner vê “amadorismo” em presidente e elogia Moro

BR: Mais um arrependimento político está se formando no cantor e compositor Raimundo Fagner. Em 2014, ele votou em Aécio Neves e, em seguida, quando vieram à público as acusações de corrupção contra o tucano, pediu publicamente para que o ex-candidato se desculpasse,

Agora, o arrependimento é sobre o presidente Jair Bolsonaro, em quem o formador de opinião votou no segundo turno, buscando, como disse ao apresentador Pedro Bial, “mudança”:

“Tem horas que ele parece que continua em campanha, que ele não combina com a turma dele. Está sempre tendo um disse-me-disse. Frustra um pouco. Passa uma impressão de amadorismo”, afirmou Fagner.

Os elogios, desta vez, ficaram para o ex-juiz Sergio Moro. Se o ministro da Justiça concorrer às presidenciais de 2022, Fagner, ao que parece, já tem em que votar – e, finalmente, não se arrepender.