O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai acelerar a votação da reforma da Previdência. Ele vai pedir ao relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que apresente o parecer antes de 15 de junho.

“Do ponto de vista concreto, não há nenhum movimento da Câmara ou do Senado que tenha atrapalhado o governo até agora. Queremos construir com o governo outras pautas além da Previdência que ajudem a tirar o Brasil desta inércia. Nas próximas semanas, junto com o ministro (Paulo) Guedes, vamos avançar na reforma tributária”, disse.

Negando pressão das manifestações de domingo, Maia disse, após encontro com os presidentes dos Três Poderes no Palácio da Alvorada, que político não pode ficar “chateado” com manifestações. O presidente da Câmara foi chamado de “inimigo do Brasil” e “funcionário do Centrão”, pelos manifestantes.