BR: A crise na área de publicidade do Banco do Brasil, aberta com a interferência do presidente Jair Bolsonaro num filme publicitário que ressaltava a diversidade social dos clientes do banco, está levando a agência WMcCann, responsável pela peça vetada, cujo custo foi estimado em R$ 17 milhões, a sofrer um enquadrada.

Para mudar todo o ‘briefing’ – que é como a publicidade chama as orientações iniciais passadas pelo cliente para suas propagandas – , a direção da agência está sendo convocada pela direção do Banco do Brasil.