Morre ex-presidente do Peru Alan García, após dar um tiro em si mesmo, na cabeça

O ex-presidente peruano Alan García morreu em consequência de um tiro que ele próprio disparou em sua cabeça, na manhã de hoje, em Lima. Ele estava em vias de ser preso em razão de acusações por corrupção que envolvem a empreiteira brasileira Odebrecht. García morreu no hospital, para onde foi levado após o disparo.

Abaixo, notícia anterior sobre o assunto:


Conforme comunicado do Ministério da Saúde, García ingressou ao hospital de emergências às 6h45 (hora local do Peru), com diagnóstico de impacto de bala de entrada e saída da cabeça. “O paciente está na sala de operações desde as 7h10. Seu estado de saúde é delicado com um prognóstico reservado.”

Segundo o Jornal peruano “El Comercio”, a Justiça do Peru havia determinado a prisão de dez dias do ex-presidente pela acusação de receber dinheiro ilegal da Odebrecht em uma campanha eleitoral em 2006.

O Jornal “El País” noticiou que, o ex-presidente, que governou o país entre 1985 e 1990 e entre 2006 e 2011, estava sob investigação por supostos subornos na construção de uma linha de metrô para Lima, projeto no qual estava envolvida a construtora brasileira Odebrecht. A polícia também deteve nesta quarta-feira Luis Nava, ex-secretário-geral de Presidência, e Miguel Atala, ex-vicepresidente. Ele teve sua saída do país proibida em novembro do ano passado, enquanto era investigado por lavagem de dinheiro, conflito de interesses e tráfico de influências no caso do concessão da Odebrecht.

Ainda segundo matéria veiculada pelo Jornal “El País”, um acordo de colaboração entre a equipe de procuradores da Lava Jato do Peru e a construtora, assinado no dia 14 de fevereiro levou a novas evidência de propina distribuída entre os altos cargos no Peru. As mais recentes, divulgadas pelo meio digital IDL-Reporteros e o jornal El Comercio, comprovavam que a Odebrecht pagou ao menos 4 milhões de dólares a Luis Nava, que foi braço direito de Garcia no Palácio do Governo.