Manobras do centrão avançam e CCJ pode votar Orçamento Impositivo antes da Previdência

Lideranças partidárias da Câmara querem votar a Proposta do Orçamento Impositivo antes da reforma da Previdência, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini, do PSL, afirmou que está negociando com os líderes uma forma de votar o orçamento impositivo antes da reforma da Previdência, sem atrasar a aprovação da reforma na comissão.

O líder do PSL na Casa, delegado Waldir, disse que para o partido não há problema em votar o orçamento impositivo antes, desde que não atrase a reforma. Para isso, será preciso fechar um acordo com a oposição para que ela não obstrua os trabalhos da CCJ.

Segundo o líder do PSL, como a oposição também tem interesse no orçamento impositivo, esse acordo seria possível.

O delegado Waldir só não quer deixar para votar a reforma da Previdência na quarta-feira (17) porque, segundo ele, é muito próximo do feriado da Semana Santa, na sexta-feira (19), o que poderia prejudicar o quórum para votação.

A PEC do Orçamento Impositivo torna obrigatório o pagamento das emendas de bancada, o que tira do Executivo a possibilidade de bloquear o dinheiro das bancadas estaduais da Câmara e do Senado.