De férias em Santarém, ministro da Educação é vaiado por política educacional do governo e ganha prato de kafta

De férias em Santarém (PA), pouco mais de três meses após tomar posse do cargo, o ministro da Educação Abraham Weintraub foi alvo de manifestação de indígenas e moradores locais contra o governo na noite desta segunda-feira (23). Em vídeo que circula na internet, o ministro discute com liderança indígena após receber um prato de kafta de um grupo de jovens.

<blockquote class=”twitter-tweet”><p lang=”pt” dir=”ltr”>Notícias da Floresta 🙂 <br>Ministro da Educação Abraham Weintraub esta aqui em Alter do Chão, tentou chegar despercebido, olha como os Santarenos o receberam.<br>Tentando falar, é expulso aos gritos de &quot;Lula Livre&quot;! <a href=”https://t.co/tDX5pn2D9H”>pic.twitter.com/tDX5pn2D9H</a></p>&mdash; Tatiana Lobatto (@Tatilobatto) <a href=”https://twitter.com/Tatilobatto/status/1153483837176975365?ref_src=twsrc%5Etfw”>July 23, 2019</a></blockquote> <script async src=”https://platform.twitter.com/widgets.js” charset=”utf-8″></script>

Depois de receber do grupo Engajamundo o prato árabe, em referência à confusão em que trocou o nome de Franz Kafka com a iguaria, Weintraub reagiu e pegou o microfone de músicos que se apresentavam no local para dedicar críticas ao PT e defender o “contingenciamento” na educação. Foi respondido com vaias.

Um líder indígena, então pegou outro microfone e começou a rebater a fala do ministro e criticar a política ambiental do governo Bolsonaro, enquanto pessoas ao redor pessoas gritavam contra os cortes e chamavam o chefe do MEC de fascista. Com a baixa receptividade, Weintraub se retirou. Em comemoração, gritos de “Lula Livre” foram ouvidos.